Peter Liu

Melão de São Caetano - Poderosa Insulina Vegetal Contra Açúcar No Sangue

19/11/2020 Melão de São Caetano
Planta nativa das Américas, África e Ásia, da família dos melões, pepinos, melancias e abóboras, apresenta diferentes formatos de acordo com a região e pode ser um forte aliado ao combate ao câncer, HIV, entre outras doenças, mas o que mais chama a atenção é sua eficácia em tratamentos de diabetes por controlar os níveis de glicemia no sangue. 

É conhecido também como melãozinho, momórdica, erva de São Caetano, pepino amargo, bitter melon (inglês) e nigagori (japonês). Plantei em minha casa, junto do pé de amora, o tipo asiático, não silvestre e em menos de 3 meses já se espalhou pelo quintal.

Aqui no Brasil, o Melão de São Caetano é considerado uma PANC (planta alimentícia não-convencional) encontrada em diversos lugares devido à sua vasta propagação, embora poucas pessoas conheçam. Mesmo que você viva na cidade, apurando o olhar e se familiarizando com a planta, certamente encontrará alguma perto de você. É um arbusto vistoso, às vezes cerca-viva, com fruto semelhante a um pepino amarelo do tamanho aproximado de um indicador, diferente da versão asiática, que é pelo menos o dobro dessa versão e apresenta formato mais parecido com pepino comum. Ambos possuem uma camada vermelha adocicada que envolve as sementes. O restante do fruto pode ser utilizado em refogados, saladas, sucos ou mesmo em chás e tinturas com finalidade fitoterápica, juntamente com suas folhas.

Possui propriedades antibiótica, antioxidante, antiviral e tônica, auxiliando em problemas respiratórios, menstruais, de pele. Trata diabetes, reumatismo, úlceras, gastrites, feridas externas e internas. Seu uso milenar na medicina oriental e nos saberes populares brasileiros vem ganhando comprovações científicas, existem inúmeros artigos disponíveis, caso queira se aprofundar em alguma questão específica.

Alguns usos e contraindicações:
   
- Vermífugo: popularmente as sementes são trituradas e misturadas com outras frutas, para crianças por exemplo;
pesquisas científicas com suas folhas comprovaram eficácia contra um tipo de verme colonizador do fígado.

- Fungicida: via oral ou uso tópico através de emplastros para dermatite atópica, frieira, diminuição do ácido úrico.

- Gastrite e úlcera: o fruto pode reverter inflamação e irritação da parede do estômago, acelerando cicatrização.

- Antibiótico: folhas agem contra várias bactérias do grupo estafilococos, bactérias oportunistas que vivem sob a pele e atacam quando há baixa no sistema imunológico.

- Infarto: por possuir polissacarídeos auxilia na recuperação de infartos por reduzir inchaço, inflamação e necrose do tecido do coração.

- HIV: recente pesquisa indica controlar carga viral através da substância map-30, não permitindo que o vírus se acople nas células.

- Câncer: estudos indicam um potencial uso farmacológico a partir do extrato seco concentrado. Em tratamento à vários tipos de tumores, pesquisas demonstraram excelente ação de melhora na absorção dos medicamentos que combatem as células cancerosas, potencializando resultados da quimioterapia, além de efeito analgésico ao incômodo que algumas dessas medicações podem trazer ao paciente. A proteína D30, presente no fruto possui, reconhecidamente, capacidade de controle da reprodução de células tumorais e inibição do seu desenvolvimento.

O diabetes diminui a ação ou produção de insulina, hormônio produzido pelo pâncreas que ajuda o corpo a absorver a glicose (açúcar) do sangue. As moléculas de insulina fazem o açúcar presente ser consumido, gerando energia. Por isso, essa doença causa um desequilíbrio no corpo que traz consequências gravíssimas à saúde.

O Melão de São Caetano, recebeu apelido de insulina vegetal por sua capacidade muito forte de baixar açúcar no sangue, ou seja, o controle da glicemia, portanto é um fitoterápico consagrado no Japão desde os anos 1970 no combate à diabetes. Na última década, no Brasil, os casos de diabetes subiram 60%, resultado de uma má alimentação rica em açúcares e industrializados.
Ele atua diretamente nos receptores das células às insulinas; impede que o fígado despeje o açúcar armazenado no sangue; aumenta o número de células que produzem insulina no pâncreas e o estimulam produzir mais insulina; diminui a absorção dos açúcares no intestino.

Os tratamentos fitoterápicos podem variar entre preparo de chás, sucos, refeições e a quantidade e frequência também variam de pessoa para pessoa. Atualmente é possível encontrar extrato seco em cápsulas. 

Vale ressaltar o seu poder de ação ser muito forte, portanto mesmo em pequena quantidade não é recomendado para pessoas que apresentam hipoglicemia ou que já estão em tratamento para diabetes com outros medicamentos. 

Não deve ser utilizado por mulheres que estejam amamentando ou grávidas, por oferecer risco de descolamento de placenta. Durante o tratamento com Melão de São Caetano pode haver infertilidade tanto para homens quanto mulheres, pela redução de gameta, responsável por óvulos e espermatozoides. Demonstra diminuição da ovulação e caso haja fecundação pode impedir a fixação na parede do útero.

Importante lembrar que não existem medicamentos, tratamentos naturais capazes de agirem sozinhos. É essencial adotar hábitos saudáveis, combinando alimentação adequada e atividades físicas.

Espero que tenham gostado!

Conheça minha fórmula em cápsulas de Bitter Melon  (Melão de São Caetano)
Compartilhe:
Vídeo Relacionado: 2 LUTADORES DE PESO CONTRA AÇÚCAR NO SANGUE - MELÃO DE SÃO CAETANO | Peter Liu Melão de são caetano combinado com Picolinato de Cromo para controle da diabete, dermatite , infecção urinária. Veja a fórmula com melão de são caetano e picolinato de cromo que desenvolvi para melhorar sua saúde.